Como aumentar a longevidade em 500%: estudo
18 de janeiro de 2020
Redação do Enem: 53 têm nota 1000
18 de janeiro de 2020

Se você chegou até aqui, é porque este assunto de alguma forma lhe chamou a atenção. Você já sofreu ou conhece alguém que sofre com incontinência urinária?

É provável que já tenha conhecido alguém que sofre com a perda de urina.

E claro, talvez a pessoa não te fale, mas eu te digo, incontinência urinária afeta diretamente o sexo.

De forma fácil vou lhe ajudar a identificar, você vai saber as consequências para o sexo e saber o que fazer para solucionar.

“A qualidade do sexo afeta diretamente a vida de todos nós, a minha e a sua.”

Quando estamos saudáveis, com um corpo saudável e um organismo equilibrado emocionalmente temos uma maior chance de ser feliz.

Com o aumento da expectativa de vida e diversos fatores de risco ao longo da vida, há um aumento do aparecimento de situações de incontinência urinária.

“Você sabia que no Brasil entre 38 a 57% das mulheres sofrem com algum grau de incontinência urinária?”

Fatores que aumentam a chance de ter uma incontinência urinária

Alterações do assoalho pélvico, que podem acontecer por:

Aumento de pressão na barriga que empurra os órgãos pélvicos para baixo:

  • Gravidez, fetos grandes ou gemelar,
  • Obesidade (ou aumento súbito de peso) e estresse repetitivo de pressão no abdômen, como tosse crônica, constipação.
  • Exercícios físicos intensos e de alto impacto.

Lesão de ligamentos, fáscias ou músculos do assoalho pélvico:

  • Parto vaginal (normal ou fórcipe),
  • fetos grandes,
  • trauma local (fratura de bacia por exemplo).

Deficiência de colágeno:

  • Menopausa (pela queda de hormônios)
  • Deficiência do colágeno congênita (geralmente pessoas que já tiveram hérnias têm maior probabilidade de ter deficiência de colágeno).
  • Tabagismo (contém substância que “quebram” o colágeno e aumentam a flacidez).
Sintomas da incontinência urinária

Sintomas de Incontinência Urinária

As mulheres com incontinência urinária podem sentir perda de urina durante esforços como:

  • tossir,
  • espirrar,
  • dar risada,
  • subir ou descer uma escada,
  • carregar algo no colo
  • perda de urina no sexo
  • ou até levantar da cadeira.

Outros sintomas, relacionados a perda de urina por bexiga hiperativa:

  • urgência para urinar, vontade de ir ao banheiro toda hora
  • depois que urinou tem a sensação que ainda tem urina lá dentro
  • acordar a noite para fazer xixi

“Os sintomas afetam muito a qualidade de vida da mulher. Algumas deixam de sair de casa com o medo da perda urinária e do odor de urina. É frequente precisar usar absorventes diários, trocar a calcinha várias vezes e até usar fraldas.” (Lilian Fiorelli)

Perda de urina durante a relação sexual

Algumas mulheres reclamam também de perda de urina durante o ato sexual e começam inclusive a ter medo de ter relação.

Alguns sintomas durante, antes, ou depois do sexo frequentemente aparecem:

  • Medo
  • Vergonha
  • Constrangimento
  • Ansiedade para uma relação sabendo que pode acontecer
  • Evitam o sexo para não passar por isto.
  • Comportamentos antissociais para não se envolver com alguém e saber que se tiver sexo pode ocorrer tal situação.

Se isto estiver acontecendo com você ou com alguém que você conheça é importante diferenciar:

  1. Como desencadeou
  2. O que desencadeou a perda urinária.

Perda de urina no ato sexual

Se a perda for durante o ato sexual, ao esforço, é possível que realmente seja algum defeito anatômico.

Perda de urina durante ou após o orgasmo

Se a perda for durante ou após o orgasmo é possível que seja por contração do detrusor (o músculo da bexiga), neste caso é um dos sintomas da bexiga hiperativa.

Mas atenção, pode ser que não seja urina e sim ejaculação feminina! Neste caso a cor é mais transparente e não tem odor de urina.

Homem e mulher deitados

Antes de qualquer coisa É PRECISO DESCARTAR INFECÇÃO URINÁRIA EM TODOS OS CASOS DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA! Por isso sempre busque o médico especialista, o uroginecologista.

PERDER URINA NÃO É NORMAL!

Diagnóstico da incontinência urinária

O diagnóstico da incontinência urinária é clinico, ou seja, na sua consulta com o(a) seu(sua) médico(a) conte todos seus sintomas pois é a partir daí que é feito o diagnóstico.

Exame físico:

O exame físico ajuda a definir outras possíveis causas ou doenças que podem estar associadas como prolapsos (bexiga caída, útero caído, intestino caído)

Diário Miccional:

O diário miccional também é um recurso fundamental no diagnóstico principalmente para descriminar o tipo de incontinência urinária.

Questionários específicos podem avaliar o grau de impacto na qualidade de vida.

Estudo urodinâmico:

É um exame feito no laboratório em que são colocadas sondas na bexiga e no ânus para medir as pressões enquanto enche e esvazia a bexiga.

Ajuda a dar um diagnóstico mais preciso e a melhor forma de tratamento, principalmente se for indicação de cirurgia.

Tratamento da incontinência urinária

O tratamento da incontinência urinária pode ser realizado pela:

Reabilitação do assoalho pélvico com fisioterapia

Que varia de técnicas desde eletroestimulação, biofeedback (métodos que mostram em tempo real se a mulher está contraindo o músculo certo) que são técnicas para mulheres que têm dificuldade na percepção da musculatura ou força muito fraca.

Métodos de reeducação postural

Sim!!! Sua postura e a maneira como você move seu corpo no dia a dia diz muito se você contrai direito o assoalho pélvico!

Cones vaginais

Que são introduzidos na vagina, com pesos diferentes e funcionam como uma musculação.

Games

Games com aplicativos para você fazer em casa.

Dicas práticas para exercitar o assoalho pélvico em casa

Primeiro é fundamental que você contraia o músculo certo.

Coloque a mão sobre o genital e tente contrair o mesmo músculo que segura o xixi ou o cocô, sentiu contrair?

Não pode contrair nem abdome, nem coxa, nem glúteos.

Se não conseguiu sentir tente colocar 1 dedo na vagina e tentar contrair de novo, sentiu contrair agora?

Sentiu a vagina dar uma “fechadinha”?

Se não conseguiu é porque o músculo está muito fraco ou porque você ainda não consegue perceber como contrair o músculo certo.

Neste caso busque um fisioterapeuta do assoalho pélvico.

Se sentiu contrair, vamos começar o exercício:

Exercício para perda de urina

Deitada com as costas retas bem apoiadas e com as pernas dobradas:

  1. Contraia 1 segundo, relaxe 2 segundos, repita 15 vezes.
  2. Contraia 5 segundos, relaxe 10 segundos, repita 15 vezes.
  3. Repita este exercício ao acordar e antes de deitar
  4. Você pode também fazer este exercício a qualquer hora em qualquer lugar! (no carro, na fila do supermercado, no cinema e até enquanto você lê este texto) .

Fique tranquila, ninguém vai perceber que você está fazendo.

Se seu músculo não está contraindo direito NÃO é recomendado fazer esses exercícios sozinha em casa ou exercícios de impacto ou exercícios que contraiam o abdome!

Isso pode até piorar os sintomas de incontinência urinária!

Interessante

O mais interessante de tudo isso é que, como sabemos que são estes mesmos músculos do assoalho pélvico e do sexo, a reabilitação do assoalho pélvico melhora muuuuito a sexualidade:

  • melhora função muscular e portanto gera maior contato da vagina com o pênis com maior estímulo sexual para ambos,
  • melhora vascularização local e consequentemente melhora lubrificação e estimula mais terminações nervosas, melhorando o prazer.
  • Além disso, permite a mulher o autoconhecimento corporal e postural que é fundamental para todas as fases do ato sexual.

Contudo, nem todas as mulheres melhoram 100% com essa técnica e muitas partem para outras alternativas como o uso de um pessário (dispositivo que fica na vagina que melhora prolapsos genitais que podem estar associados à incontinência urinária e pode conter um botão que comprime o colo vesical melhorando o fechamento da uretra) ou correção cirúrgica.

Fonte –

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *