O ministro Orlando Silva enfim DEMITIDO. Já vai tarde.

Aceita um abraço? É preciso disfarce para aproximar das pessoas?
26 de outubro de 2011
Enem 2011 poderá ser suspenso por vazamento de questões
26 de outubro de 2011

Se estivéssemos na Inglaterra, onde se aposta em praticamente tudo, a demissão do ministro do Esporte, Orlando Silva, seria um dos temas de maior destaque. Com mais apostas do que as corridas de cavalo.

A estratégia do Planalto era buscar “uma saída honrosa”, ou seja, o próprio Orlando Silva pediria demissão, alegando que deixava o governo para poder se defender com mais liberdade. Esse seria o melhor argumento para o ministro entregar o cargo, na reunião de sexta-feira passada com a presidente Dilma Rousseff.

Mas o ex-presidente Lula entrou no circuito, como já fizera nos outros casos de corrupção envolvendo ministros, e a estratégia do Planalto foi para o espaço. Lula mandou Orlando Silva ficar e o PCdoB lutar por ele. A presidente Dilma obedeceu, e o partido do ministro, também. Traduzindo: não haveria mais saída honrosa. Apenas o desgaste progressivo, desmoralizando o ministro e o próprio governo Lula Rousseff.

Terça-feira, no fim da tarde, o presidente do PCdoB, Renato Rabelo, foi chamado ao Planalto para analisar a crise. Logo depois, encontrou-se com o líder do partido, deputado Osmar Junior (PI), e o próprio Orlando Silva. Depois, todos participaram de uma reunião da bancada, que aguarda um desfecho para a crise que já dura mais de dez dias. Mas o ministro ainda tentou resistir.

Mas no núcleo do governo e entre líderes da base governista no Congresso, a demissão do ministro já era considerada mais do que decidida. Como diz o senador Magno Malta (PR-ES), que é da base aliada, “o corpo já está embalsamado, só falta enterrar, e Dilma quer velar mais um pouco por causa da relação de amizade com o defunto”. Simples assim.

Agora de manhã, o ministro jogou a toalha, para alívio do Planalto. Espera-se que seja substituído por alguma pessoa decente.

Fonte: Net.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *