Novo exame poderá ajudar muito no tratamento do câncer de mama

Desfile Cívico-Bom Jardim-PE
7 de setembro de 2019
Remédios caseiros para combater queixo duplo ou papada
8 de setembro de 2019

Um teste de DNA do tumor de mama poderia ajudar os médicos a identificar se as células cancerígenas ainda estão no sangue da paciente e determinar se um tratamento está funcionando ou não, guiando assim o processo de cura do câncer de mama.

O procedimento teria ainda o potencial de reduzir tratamentos adicionais desnecessários para a doença, segundo sugere um novo estudo, publicado no periódico científico Science Translational Medicine.

Exame de sangue pode prever recorrência do câncer de mama

Voyagerix / Shutterstock

© Voyagerix / Shutterstock Voyagerix / Shutterstock

Atualmente, a mulher pode fazer quimioterapia para destruir as células cancerígenas. Se o tratamento funcionar bem, é possível que ela não precise da cirurgia. Cerca de um terço das pacientes que fazem a operação após a quimio não mostram sinais de câncer residual, o que indica que o procedimento pode não ter sido necessário.

Mas até o momento não há como dizer com certeza se existem células cancerígenas no sangue sem fazer a cirurgia, explica Muhammed Murtaza, autor do trabalho científico.

Evgeny Atamanenko/Shutterstock

© Evgeny Atamanenko/Shutterstock Evgeny Atamanenko/Shutterstock

Murtaza disse que sua equipe esperava criar um teste que pudesse ser realizado antes e depois da quimioterapia para prever quais mulheres precisariam ou não de cirurgia. Foi desenvolvido então um exame personalizado que poderia detectar o DNA do tumor circulante (ctDNA) usando apenas uma amostra de sangue.

O teste usa DNA de um pedaço do tumor retirado quando o câncer de mama é diagnosticado pela primeira vez. Desde o recebimento da amostra, o tempo de resposta para criar o teste individualizado leva de três a quatro semanas.

Constantine Pankin/Shutterstock

© Constantine Pankin/Shutterstock Constantine Pankin/Shutterstock

Os cientistas aplicaram o método em 33 mulheres, com idades entre 40 e 70 anos, com câncer de mama. Seus cânceres foram diagnosticados como estágio 1 a 3, e nenhuma apresentava metástase. As participantes foram acompanhadas por vários meses desde o diagnóstico até o momento da cirurgia para remoção do tumor.

Nas mulheres que responderam bem à quimioterapia, o novo teste mostrou uma diminuição de 96% no ctDNA. Aquelas que ainda tinham evidências de câncer de mama mostraram apenas uma redução de 77%, sugerindo que o exame será útil para orientar o tratamento do câncer.

Fotos593/shutterstock

© Fotos593/shutterstock Fotos593/shutterstock

O líder da pesquisa afirma que o método poderia no futuro monitorar com precisão a resposta ao tratamento em mulheres com câncer de mama em estágio inicial e diz acreditar estar no caminho certo para prever com precisão a doença residual nessas pacientes.

Fonte – https://www.msn.com/pt-br/saude/medicina/novo-exame-poder%c3%a1-ajudar-muito-no-tratamento-do-c%c3%a2ncer-de-mama-futuramente/ar-AAGWRJL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *